domingo, 17 de fevereiro de 2013

Do amor


A cidade que me aquece o coração, debaixo de neve neste momento, é assim como a da foto. Com espaços comerciais absolutamente lindos à beira-lago, uma extensão relvada a perder de vista, numa zona interdita ao trânsito que incentiva a caminhadas, a passeios de bicicleta ou simplesmente à conversa. Espalhados pelo imenso verde estão grelhadores públicos que convidam ao prolongamento do dia ao sabor de um churrasco. No ar música ao vivo, e na água barcos e motas-de-água para alugar. 

Naquela cidade senti o peso das saudades dos meus, do som do nosso idioma e descobri como a alegria se pode esconder em coisas aparentemente pequenas. Conheci pessoas maravilhosas, recebi abraços indescritíveis e fui imensamente feliz.

A cidade que me aquece o coração está demasiado longe neste momento, mas continuo a sentir-lhe o aroma, a textura e a temperatura da água. E cada pedacinho de mim me pede para voltar. 

Desta vez: com os meus.

2 comentários:

  1. Como te entendo, tão bem, :)

    Não podia estar mais de acordo com: "Conheci pessoas maravilhosas, recebi abraços indescritíveis e fui imensamente feliz."

    Pode estar longe em distância mas no pensamento está bem perto.

    beijinhos e boa semana.

    PS: Parabéns pelo belíssimo texto, já vem sendo da praxe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Sérgio :')
      Beijinhos e uma semana mágica*

      Eliminar

Outros pensamentos